TERAPIA DE VIDAS PASSADAS

    

        Somos pioneiros em Terapia de Vidas Passadas no Brasil, pois há mais de 30 anos que praticamos esta técnica. No principio encontramos grande resistência dos colegas psicólogos e também dos médicos e psiquiatras e por incrível que possa parecer até dos religiosos espíritas. Mas, acreditamos nesta verdade e lutamos por ela. Hoje o mundo inteiro só se fala nisso. Psicólogos, psiquiatras e a religião espírita que combatiam tal prática, hoje promovem congressos nas diversas capitais do mundo, buscando cada vez mais a sua popularidade. Segundo o Prof. Hernani Guimarães Andrade, a reencarnação dentro de 10 anos será também uma verdade cientifica.

        Uma das primeiras condições para se estudar TVP é ter a mente aberta no diz respeito a possibilidade da existência da reencarnação.

ugg slovenija

    Reencarnar significa voltar à carne novamente, tornar a nascer. Portanto, o conceito de reencarnação equivale a renascimento. Usa-se outro termo também: palingenese, que etimologicamente provem do grego: palia = de novo e gênesis = geração. Isto é: novo nascimento.

    Temos também a metempsicose, a qual deriva do grego "metempsykhosis", levado do Egito para a Grécia por Pitágoras, onde se supõem ser possível a transmigração das almas após a morte, de um corpo para outro corpo, sem ser obrigatoriamente dentro da mesmo espécie. Alguns filósofos gregos aceitavam esta crença. Parece não haver nenhuma evidencia observacional em apoio a esta suposição. O renascimento deve ocorrer exclusivamente dentro da mesma espécie, conforme o que se tem observado até agora.

    A crença na reencarnação é antiqüíssima e bastante difundida. Ela sempre constituiu o dogma básico da maioria das religiões primevas. Louis Jacolliot assim se expressa:

  " O mito da transmigração das almas é talvez o primeiro sistema filosófico que se há produzido no mundo, sobre a imortalidade da alma e a origem do homem; liga-se intimamente com aquele da encarnação da divindade, nas crenças hieráticas da Índia antiga "

    O Manarva Dharma-Sastra, mais conhecido como do Código de Manu, era citado no RigVeda, ha cerca de 1300 a.C., como sendo muito antigo. No livro XII, Manu - o Legislador - refere-se nos seguintes termos daqueles que morrem:

ugg slovenija

    " Após a morte, as almas dos homens que cometeram más ações tomam um outro corpo, para a formação do qual concorrem os cinco elementos sutis, e que é destinado a ser submetido as torturas das zonas inferiores.

    Quando as almas revestidas desse corpo sofreram as penas purificadoras, penetram nos elementos grosseiros, aos quais se unem para retornar novo corpo, volta ao mundo e conclui sua evolução."

ORIGENS DA TERAPIA  DE  VIDAS  PASSADAS  

ugg slovenija

    Desde tempos imemoriais os xamas e os sacerdotes de inúmeros povos aprenderam a entrar em estados de transe místico por meio de técnicas iniciáticas mais ou menos complexas. Ritmos, danças, sons variados, exercícios respiratórios, jejuns, contenção sexual ou até utilização da sexualidade com contenção do orgasmo, e ainda pelo uso de drogas as mais variadas, geralmente de origem vegetal.

    Com a entrada da civilização na fase científica começou-se a valorizar o ensino generalizado em contraposição a cultura iniciática, a qual somente os eleitos tinham acesso.

    A partir dos últimos anos do século XVIII, a obtenção dos estados hipnóticos passou gradualmente a  ser ensinada a quem por ela se interessasse, sem premissas de ordem mística ou religiosa.

            Não   o cabe aqui repetirmos a história da hipnose, que poderá ser encontrada nos livros de Psicoterapia, mas citaremos apenas que foi com Franz Friedrich Mesmer (1734-1815), filósofo, médico e astrólogo, que começou o ensino daquilo que ele chamava de magnetismo animal, e que  mais tarde o Dr. James Braid (1795-1860), também médico, apelidou inadequadamente de sono neuro-hipnótico, ou mais simplesmente, de hipnotismo. Foi porem Armand Chastenet, conde Puysegur, aluno de Mesmer, um dedicado filantropo, que estudou o transe tranqüilo e percebeu, talvez mais claramente que seu próprio mestre, que nesse estado surgiam estranhos fenômenos de clarividência. Ele tentava magnetizar um paciente, um camponês analfabeto chamado Victor Race, e verificou que em transe ele era capaz de se autodiagnósticar e automedicar. Foram principalmente esses três personagens que transformaram o hipnotismo numa arma médica. Como vemos, tudo isso começou somente há pouco mais de dois séculos.

ugg slovenija

    Desde então o uso da hipnose para fins terapêuticos passou por fases áureas e por épocas de profundo descrédito. O próprio Mesmer foi por duas vezes quase escorraçado pelos colegas, tanto em Viena como, poucos anos depois, em Paris, onde fizera um enorme sucesso popular, com algo que ele mesmo não entendia e não sabia explicar. A última fase áurea ocorreu com o Dr. Marins Charcot (1825-1893), professor da famosa Escola da Salpetriere de Paris; mas, com sua morte e com o início da psicanálise de Sigmund Freud (1856-1939), ela entra num longo período de abandono. Todavia, na Rússia, importantes trabalhos de Ivan Petrovich Pavlov (1849-1936), sobre os reflexos condicionados se mantém em uso na medicina soviética e mundial.

    Na Alemanha, o último grande hipnólogo da primeira metade do século foi Johannes Meinrinch Schultz, que valorizou certos poderes excepcionais dos estados de transe.

    Mais tarde, com o surgimento do Behaviorismo, Hans Jurgen Eysenck (1916-) volta a utilizar a hipnose tendo em vista principalmente seu valor relaxante no tratamento de fobias.

    Também não podemos esquecer um grande psicanalista americano, Milton Erickson, que volta a mostrar a importância dos estados hipnóticos nas psicoterapias.

    Por outro lado, um nome que não pertence a medicina deixa uma marca inesquecível na filosofia dos estados de transe. Trata-se de Hyppolite Leon Denizard Rivail (1804-1869), mais conhecido como Allan Kardec, que se dedica ao estudo da comunicação com os espíritos desencarnados através de sensitivos considerados médiuns ("médium" em latim significa "meio"). Devem-se a ele uma vasta literatura e a codificação daquela linha de pensamento que se chamou de espiritismo.

    No Brasil, principalmente, o espiritismo passa a ser visto mais como uma religião do que uma ciência, como o próprio codificador o colocava.

    Como estamos vendo, neste século o mundo ocidental passou de uma fase fortemente materialista para uma segunda fase, mais espiritualista.

    Roberto Assagioli, com a psicosíntese, Abraham  Maslow, já na década de 60, com a psicologia transpessoal, a qual se liga também Stanislaw Grof, dedicam seus estudos a uma psicologia mais ampla, onde a hipermnésia hipnótica passa a ser valorizada, especialmente no que se refere a vivência intra-uterinas e, mais além, as reminiscências de vidas anteriores. Todavia, alguns hipnólogos acham que tudo isso não passa de mistificação inconsciente.

    As dificuldades atuais da TVP são ainda as religiões, pois países onde predominam religiões que admitem a reencarnação, como fenômeno universal é mais fácil a aceitação de uma terapia em bases reencarnatórias do que naqueles onde isso não é tão aceito. No Brasil, apesar de ser um pais católico, a influência do espiritismo, e também do espiritualismo de linhas africanas é muito forte, portanto encontra- se uma aceitação bastante ampla no âmbito popular.

            A terapia de vidas passadas (TVP), criada por Morris Netherton com o nome inglês de  Past Life Therapy,  deve ser considerada uma forma de terapia transpessoal tecnicamente orientada para a cura de inúmeros problemas psíquicos e psicossomáticos. Quando falamos em psíquicos e psicossomáticos é devido ao fato de que o espírito ou alma é o próprio psique humano e este é o modelador biológico do nosso soma, isto é, do nosso corpo. O nosso perispírito, como chamaremos de agora em diante a forma espiritual, traz em si toda uma programação que poderá afetar o nosso desenvolvimento material. Esta programação é oriunda de nossas vidas passadas. O nosso perispírito, ao reencarnar, lança em nosso sistema genético as informações ou melhor o código direcional de nossa vida, inclusive o nosso  "tonus vital' , necessário para a nossa vida biológica, que marcará o  nosso tempo de vida reencarnada.

            As doenças de ordem psíquica como a  loucura, depressões, neuroses e outros são  desarmonia energética entre o corpo físico e o corpo espiritual, deixando que passe pelas camadas ectoplásmica informações inconscientes para o aparelho pré-consciente.  Estas passagens energéticas causam o desequilibro emocional, devido a falta de uma estrutura educacional e moral em relação  as "nossas vidas" , caindo assim, o indivíduo no estado de perturbação.

            Já as doenças de ordem psicossomáticas, embora tenham a mesma origem  das doenças psíquicas, elas são exteriorizadas. Se apresentam como um problema congênito, isto é, o indivíduo já nasce com deformações físicas ou de outras forma , com predisposições para doenças crônicas como a Asma, coração, pulmões , cânceres e outras doenças que podem aparecer com o desenrolar da vida

OS ELEMENTOS PARA UM ESTUDO

            Para que o estudo da reencarnação pudesse ser feito dentro de uma metodologia simples, porém cientifica, seus pesquisadores dividiram os vários tipos de recordações observadas no decorrer de seus estudos, dispondo-os em seis classes distintas com suas respectivas subdivisões. São elas:

1.0- Crianças com recordações de vidas prévias, cujas memórias desapareceram com a idade.

2.0- Recordações em adultos:

2.1- Recordações iniciadas na infância

2.2- Sonhos recorrentes.

2.3- Visões

2.4- Recordações espontâneas

2.5- O " deja vu", isto é, o reconhecimento de um lugar onde nunca esteve antes.

2.6-  Reconhecimento de uma personalidade

2.7-  Situações similares.

2.8-  Recordações provocadas por doença

2.9-  Conhecimento paranormal

2.10- Sonho simples, desencadeador da memória

3.0 - Por informação:

3.1 - Sonhos anunciadores

3.2 - Informações obtidas de desencarnados

3.3- Informações obtidas de pessoas dotadas como, por exemplo, a psicometria.

3.4 - Informações do próprio paciente, antes de morrer, prometendo voltar.

4.0 - Por características inatas:

4.1 - Genialidade

4.2 - Defeitos congênitos(marcas de nascença)

4.3 - Aptidões inatas

5.0 - Investigação experimental ou acidental:

5.1 - Psicanálise muito profunda.

5.2 - Casos de obsessão

5.3 - Hipnose com regressão de idade.

5.4 - Ação de drogas(anestésica ou psicodélica)

5.5 - Desdobramento astral.

5.6 - Choques traumáticos violentos

5.7 - Estados pré-agônicos.

6.0 - Experiência místicas:

6.1 - Êxtase

OS SUPERDOTADOS

    Entre os diversos indícios que apontam para a possibilidade reencarnacionista do ser humano, existem dois de especial interesse: a precocidade infantil e a genialidade.

    Os pesquisadores modernos da genialidade dizem que já na infância e na juventude os seres superdotados apresentam uma saúde melhor do que seus companheiros da mesma idade, são mais ajustados tanto social como emocionalmente, mais fortes.

    Essas opiniões, todavia, divergem daquelas defendidas pelos estudiosos do século passado: César Lombroso, por exemplo, dizia que a genialidade esbarrava na loucura, fato contestado por Haverlock Ellis e F. Galton, autor do Livro Hereditary Genius.

    Os que contestam a hipótese reencarnacionista por vezes sugerem que há o fator hereditário a considerar. Mas, se estudarmos a vida dos ascendentes dos grandes gênios do mundo, dificilmente encontraremos outros gênios, e quando pesquisamos seus descendentes vemos que a genialidade não foi transmitida como se transmite uma fortuna ou uma propriedade. Ao contrário, diversos gênios tiveram filhos inexpressivos.

    Antes de citar exemplos de crianças precoces e gênios, e preciso deixar claro o que se entende por precocidade e genialidade: enquanto a precocidade se distingue pelo desenvolvimento, nos muito jovens, de faculdades  prematuras, a genialidade é uma capacidade mental em altíssimo grau.

 

Exemplos de precocidade:

Cristian H. Heinecken, falava alemão fluentemente nos primeiros dias de vida e com 1 ano de idade recitava a Bíblia de cor...

Gianella de Marco, conduziu a Orquestra Filarmônica de Londres com 8 anos de idade.....

Danielle Salamom, tocava piano com 4 anos de idade...

Wolfgang Amadeus Mozart, compôs diversas musicas desde os primeiros anos de vida.

E outros inclusive muitos no Brasil....

 

Exemplos de Genialidade:

Rui Barbosa, uma das grandes inteligência do Brasil.

Benjamim Franklin, uma dos grandes cientista de sua época.

Michelangelo, artista plástico e escultor.

e outros.....

 

REENCARNAÇÃO

     A alma depois de residir temporariamente no espaço, renasce na condição humana trazendo consigo a herança, boa ou má de seu passado. Retorna na cena terrestre para representar um novo ato da sua vida, pagar as dívidas contraídas, realizar novas conquistas e acelerar a marcha de sua evolução. Isto explica a lei da imortalidade.

     A lei do renascimento explica o sentido da vida, a evolução do ser, busca a perfeição, impossível de realizar-se em uma só existência, a mais longa que seja.

     A pluralidade das existências é que dá à alma condição necessária a sua evolução. É a custa de muitos esforços, lutas e sofrimentos que ela se redime de seu estado de ignorância e se eleva de degrau em degrau  em busca de sua perfeição. A reencarnação é a única forma racional que se pode admitir à reparação das faltas e à evolução gradual dos seres.

 

RAZÕES DO CARMA

     Cada um leva para a outra vida e traz ao renascer, a semente do passado. Os nossos atos da vida atual, fonte de novos efeitos vêm juntar-se às causas antigas, boas ou más, cujo encadeamento formam um conjunto que formarão a teia do nosso destino. Porque para uns a riqueza, a felicidade, para outras a miséria e a desgraça? Para uns a beleza, a saúde, para outras a fealdade e a doença? Porque tantas qualidades morais admiráveis ao lado de tantos vícios e defeitos? Até as raças tem diversidade, umas tão inferiores que parecem com a animalidade e outras que transcendem em evolução moral de seu povo? Porque morrem crianças  antes de nascer, ou outras que sofrem desde o nascimento?

            Donde vêm os chamados seres prodígios na literatura, música, pintura, ciência, enquanto que outros ficam na mediocridade a vida inteira?

            Se a vida individual começa com o nascimento terrestre, se antes nada existe fica difícil explicar tantas anomalias, e pior ainda, conciliar com a existência de um ser superior.

     Se torna claro com o conhecimento das vidas sucessivas que o destino do ser é o desenvolvimento gerado por  seus atos na longa série de causas e efeitos. Nada se perde, os efeitos do bem e do mal acumulam-se em nós, até  o momento exato de seu desabrochar, as vezes, eclodem com rapidez, outras em longo espaço de tempo.

     A variedade das aptidões, das faculdades, explica-se: nem todas as almas têm a mesma idade, umas já percorreram uma estrada imensa dentro das múltiplas vidas, enquanto outras mal estão começando sua evolução no ciclo humano. Deus cria incessantemente. Existem almas milenares e outras recém criadas e que terão de reencarnar em  meios diversos e em todas as condições sociais, aprendendo a obedecer, para depois mandar. Precisam de existências de privações para aprenderem a renunciar às vaidade materiais e adquirir a disciplina do espírito. São necessárias as existências de estudos e aprimoramentos, as missões de dedicação e da caridade para que o coração se enriqueça com a aquisição de novos valores, vindo depois as vidas de sacrifícios pela família e pela humanidade. E também a prova cruel que são resgate do passado ou reparação de nossas faltas para que se cumpra a lei de justiça. O espírito volta a expiar no mesmo meio onde se tornou culpado. Logo não há fatalidade. É o homem que tece seu destino do nascimento à morte. Nada esta escrito, tudo é construído na trajetória das vidas sucessivas. A lei de justiça não pune nem recompensa, mas apenas equilibra o mundo moral com o mundo físico.

 

RELAÇÕES FAMILIARES - "O  BEM E O  MAL "

     O bem e o mal constituem a única regra do destino. Cada ser vivo do Universo goza da situação de seus méritos. Nossa felicidade está em razão direta com a nossa  capacidade para o bem.

     Dado a infinita variedade das condições da existência terrestre é impossível admitir que todos os homens possam chegar a um grau de perfeição numa única vida. Daí, a necessidade de regressos sucessivos para chegar a perfeição.

     O presente tem sua explicação no passado. A posição que o homem hoje ocupa, tem como causa uma série de idas e vindas. Renascer não é o mais importante do que nascer: o espírito volta a carne quantas vezes for necessário, cujos resultados não poderiam ser obtidos na vida livre do espaço, cuja vontade é vacilante. Ao reencarnar sempre o fazemos num mesmo meio onde partilhamos as mesmas tendências, caráter e grau de evolução. Os espíritos seguem uns aos outros e encarnam por grupos e constituem famílias espirituais, cujos laços fortes contraídos durante a existência percorridas em comum.

     Muitas vezes, somos separados por longo tempo para  adquirir novos progressos.

     As condições da reencarnação quase sempre conserva os graus de parentesco, dificilmente há inversão ou troca de posições, somente em casos especiais ou a pedido dos interessados, podem inverter as situações. Antes de uma reencarnação, o espírito reencarnante escolhe o meio onde vai renascer, esta escolha é limitada, ela obedece as necessidades do espírito reencarnante, seus méritos e deméritos e o papel a que está apto a

desempenhar, daí a preferência por uma raça, tal nação, tal família etc...

Nossos amigos e inimigos, não é raro sermos atraídos a renascer em determinados lugares onde já vivemos e convivemos com o amor e o ódio, cujos lugares exercem sobre nós misteriosa atração, não raro o destino nos conduz ao meio em que já vivemos e nos coloca frente a frente com situações vividas em outras épocas, onde nutrimos amor e ódio. Progresso e fracassos foram nossa existência e ali reencontramos com nossas alegrias e nossos tormentos. Renascer aqui ou acolá, viver desta maneira ou daquela nos é proposto pelos superiores, contudo, a decisão é nossa, o interessado antes da escolha, seu guia mostra a ele como numa tela viva, todo o desenrolar da futura vida proposta, onde se vê os obstáculos e os males que terá na nova existência. Se o espírito não se sente ainda fortalecido, ele declina da proposta e reinicia uma outra vida diferente, mais amena, buscando se preparar para num futuro próximo que um dia terá que vivê-la. O esquecimento é necessário durante a vida material, o conhecimento antecipado anularia nossos esforços e obstava nossa marcha para o progresso.

     O sexo também exerce papel importante nas novas vidas do espírito, durante as reencarnações o espírito por necessidade escolhe o sexo que quer viver em determinadas reencarnações, modificando as condições do perispirito, causando sérios transtornos ao reencarnante acostumado a viver varias reencarnações com o sexo definido, seja na masculinidade ou na feminilidade. Sente o peso da mudança brusca e se denuncia no decorrer da existência.

 

A EVOLUÇÃO PELA REENCARNAÇÃO

     Leon Denis, pesquisador espírita, nos afirma: " Na escalada da evolução, o pensamento, a consciência e a liberdade só aparecem passados muitos graus. Na planta, a inteligência dormita, no animal, sonha: só no homem acorda, conhece-se, possui-se e torna-se consciente. A partir daí o progresso " . Tudo o que está em nós, está no Universo, o que está no Universo está em nós. Temos em nós os instintos dos animais, temos também a candura dos anjos, seres radiantes e puros.

     A morte é apenas uma mudança de estado do espírito. Um corpo frágil que não suporta mais as necessidades do espírito, cede lugar a um novo corpo para dar continuidade ao trabalho necessário ao desenvolvimento e ao progresso do espírito. A vida do homem é como um Sol que em seu giro parece morrer dando lugar à noite, para  em seguida ressurgir radiante no Céu, fazendo novo giro par morrer de novo. A morte é um espaço entre dois atos da vida eterna, um acaba e outro reinicia. O mesmo processo se verifica com os mundos semeados  pelo Universo, eles morrem para dar lugar a mundos mais perfeitos. Nada se perde, tudo se transforma. A morte não existe. 

            Quando reencarnamos, trazemos conosco o plano de vida que devemos viver, o tempo de vida que teremos, a idéia do progresso a ser realizado e o resgate de dívidas do passado. Os que morrem prematuramente, das morte acidentais, são existências complementares, oriundas de vidas anteriores, falidas por abusos, hábitos desregrados, quando gastaram o "tonus vital" antes da hora marcada pela natureza, sendo necessário voltar e complementar numa existência mais curta o tempo que precedentemente devia ter  preenchido. Daí o encontro de muitos nas tragédias que se verificam ceifando muitas vidas em conjunto.

 

O SUICIDA

     Quanto aos suicidas, a situação é penosa, dolorosa, o espírito entra num estado de perturbação que o agrilhoa a um desespero e estado de angústia acompanhando sua trajetória até a reencarnação ulterior. O ato do suicídio abala o corpo fluídico com tamanha violência que transmitirá ao organismo carnal do futuro renascimento sérias repercussões em seu estado vibratório que determinará afecções nervosas nas futuras vidas terrena. O espírito suicida não se livra das razões que se propôs a fugir, em nova existência ele deparará frente a frente com os motivos que deu causa ao suicídio anterior.

VIDA FÍSICA  X   VIDA ESPIRITUAL

     A melhor maneira de conseguirmos uma morte tranqüila é viver com dignidade, sem vícios, desapegado das coisas materiais, vivendo uma existência povoada de pensamentos elevados e atitudes nobres.

     Não teremos juizes a nos julgar após a morte, lá defrontaremos com nossa própria consciência, onde seremos juiz e réu ao mesmo tempo.

     A morte não nos dá sabedoria que não temos quando encarnados. Continuamos com os mesmos erros, e as mesmas virtudes, nada se modifica, apenas seu estado vibratório o posiciona no meio que lhe é afim.

     A diferença que existe entre a vida terrestre e a vida no espaço está no sentido de libertação que desfrutam os bons espíritos, que podem ir e vir com liberdade a todos os lugares enquanto os maus espíritos ficam como prisioneiros em determinado ponto, aguardando nova oportunidade ao renascimento. Assim, o ser que nasce traz consigo um destino que é a conseqüência de um passado por ele semeado livremente e que agora o obriga a colheita. É sempre o passado que determina o presente e o futuro de cada ser obedecendo ao determinismo da lei de causalidade (lei de causa e efeito).

 

O plantio é livre, mas a colheita é obrigatória

 

A REGRESSÃO

 

            Quando se busca a TVP, a pessoa busca a regressão. Na verdade a Terapia de Vidas Passadas não é apenas uma regressão e pronto. Envolve todo um processo de auto-conhecimento. Busca em primeiro plano as razões das dificuldades em que estamos envolvidos no dia-a-dia, que podem serem explicadas pelo nosso cotidiano. Existem fatores que fogem a nossa observação durante o desenrolar desta vida, ou melhor nem é desta atual vivência. Nestes casos fazemos a regressão direcionada as causas inconscientes que podem ter origem em nosso passado (outras vidas). Na TVP, não basta visualizar o ato passado em si .Temos que tomar consciência, analisar as razões da sua existência e buscar a solução para o problema ainda existente. Geralmente as soluções ocorrem quando o indivíduo procura compreender as suas faltas ou erros, e no processo seguinte reprogramar o seu passado para um ato de "perdão", reorganizar o seu passado mental, que é o que na verdade existe, e dentro dele perdoar ou pedir perdão.

  A reprogramação do passado obedece a seguinte técnica:  

            O nosso futuro depende do nosso presente e principalmente do nosso passado. A nossa história é muito importante, pois ela é a nossa plantação e sem dúvida a nossa colheita.

            Não se lamente o leite derramado. Esta afirmação é bem antiga e tem o seu valor. Na

verdade o leite derramado deve correr para o esgoto, para o lixo, enfim,  deve ser  jogado realmente fora. Deixe que o gato lambe.

            Os fatos passados, passaram. Não voltam mais. O que fica disto tudo é a imagem que transportamos em nosso mente. É  a fotografia ou o vídeo do acontecimento gravado em nosso subconsciente. Este fato sim, pode ser prejudicial. É este passado que programa o nosso presente e o nosso futuro. Este passado mental, não o fato em si que se foi. Nele estão os traumas, as mágoas e a felicidade.

Reprogramação:

            Assim como nós podemos pegar uma fotografia e retocá-la, editar um vídeo e modificá-lo, também podemos reformular o  nosso passado mental. Podemos retocá-lo. Transformá-lo de algo que nos faz mal, para algo que nos faça bem.

Os passos são os seguintes:

1º - Procure buscar na memória consciente as imagens que lhe foram desagradáveis;

2º -  Retoque essas imagens de uma maneira que lhe faça bem. Por exemplo:  Se no seu passado você maltrata alguma pessoa. Reviva esta cena fazendo um gesto de carinho e compreensão.

Obs:  Quando fizer estas reprogramações procure estar relaxado, no silêncio ou com uma música suave. Faça isto mais de uma vez, e no dia-a-dia, pense nesta cena conforme a nova programação.

            Terás uma surpresa muito grande, pois, o seu "mundo" começa a mudar. A sua percepção é outra. Entrarás na estágio da felicidade.

 

PROGRAMANDO O FUTURO

            O nosso futuro está ligado ao nosso passado. Seremos aquilo que plantamos, isto é, quem planta milho, colhe milho. Mas a história do homem, visto pelo crivo espiritual, nos mostra que a nossa colheita pode ser abundante, relativa ou transformada.

Uma das importância da Terapia de Vidas Passadas, é o conhecimento do nosso passado. De posse desta consciência podemos avaliar o nosso estado atual e projetar o nosso futuro. A projeção poderá ser transformada pelo nosso presente. Poderemos mudar radicalmente a razão matemática desta progressão e alterar todo o nosso futuro. No instante que você compreende as razões das suas imperfeições no passado, passa a entender os sofrimentos atuais. Estes sofrimentos que estamos passando tem ação perispiritual, ou melhor inconsciente. O trabalho inconsciente vai lapidando a alma a médio ou longo prazo, pois não temos acesso a este "mistério". Poderemos sofrer na lapidação por toda uma existência encarnada, digo sofrer, no termo popular, pois a compreensão esvazia o sofrimento. No instante da compreensão é que poderá ocorrer a transformação, pois as oportunidades do restabelecimento da lei Universal será por nós melhor apreciada e com isto somaremos créditos positivos em nossa existência atual, modificando até então a intocável lei do Carma. Nesta mesma vida, um câncer já programado perispiritualmente pode não acontecer, ou se já aconteceu pode mudar  o seu curso, aumentando assim a nossa existência  e dando oportunidades maiores para que possamos em maior tempo  terreno saldar os nossos débitos, transformando a dor em bálsamo divino.

 

Este estudo sobre as vidas passadas é muito lindo. Ele é também tema de uma de minhas palestras. Ao fazer esta palestra, finalizamos com uma demonstração junto ao público presente, isto é , fazemos uma vivencia. As pessoas não são obrigadas a participar desta vivencia, mas geralmente 80% da assistência se propõe a realizá-la.

Querendo fazer este tema na sua cidade, seu bairro ou grupo de amigos é só entrar em contato conosco por telefone ou e-mail e já estaremos juntos.

marciopsi@hotmail.com

 

 

[ Página inicial ]      [ Início ]